Tudo o que você precisa saber sobre Marca Pessoal

Já notou como hoje em dia tudo é recomendação? Por exemplo, atualmente:

  • Os melhores produtos são aqueles usados pelas influenciadoras e influenciadores digitais;

  • Usamos redes sociais analisando opiniões para escolher qual a melhor opção em relação a produtos, filmes, roupas e afins;

  • E, principalmente, sempre estamos coletando informações de amigos que já validaram aquele item que estamos desejando.

Essa situação acontece diretamente na nossa vida pessoal, certo? Mas já se perguntou qual a influência deste comportamento em um contexto profissional?

Para entendermos essa realidade, a The Adler Group realizou uma pesquisa em 2016 que comprovou que cerca de 85% das vagas no mercado de trabalho são preenchidas através do networking. Na prática, isso quer dizer que apenas 15% das vagas estão disponíveis para serem preenchidas com os famosos processos seletivos. As demais vagas são preenchidas por outros modelos de recrutamento, entre eles, a indicação.

Esse dado não é à toa! Com tantas informações na nossa mão, a forma mais confiável de acreditar na qualidade de algum produto ou serviço é ouvir pessoas que já tiveram alguma experiência com eles. A marca pessoal funciona de maneira muito parecida neste contexto.

Você deve pensar que você está disponibilizando este produto ou serviço como um todo, em que você quando indivíduo também faz parte dele. Para ficar um pouco mais claro e prático, separamos algumas dicas para que você fortaleça sua marca desde já!

 

1º Não se trata de autopromoção

É normal confundirem o fato de zelar ou promover a sua marca com excesso de egocentrismo. O personal branding é na verdade uma estratégia de posicionamento e comunicação que vem tomando forma na realidade atual. Lembre-se: A sua marca contempla a primeira impressão que as pessoas tem sobre você e na atualidade as mídias sociais são a melhor forma de conhecer candidatos, “garimpar talentos” e conhecer pessoas, por isso profissionalizar o seu perfil é uma maneira de garantir que você se destaque em meio a essa busca.

 

2º Todos nós já temos uma marca

Basta você ter contas nas mídias sociais, onde você posta, fala e divulga boa parte da sua vida e de suas opiniões. Dessa forma estamos sujeitos a intensos julgamentos e assim nossa marca vai se consolidando. Lembre-se: Mesmo que você não seja a pessoa mais ativa, isso por si só fala muito sobre quem você é. E vamos combinar, é melhor que você tenha controle sobre o que as pessoas te rotulam. Então, fica a dica: mantenha as mídias sempre atualizadas!

 

3º Não é ser popular, é ter influência

Enquanto alguém que é popular é apoiado por muita gente, ser influente é quando as pessoas param para ouvir o que você tem a dizer e entendem que seu conteúdo tem relevância. Algumas pessoas conseguem ser muito influentes sem ter àqueles que o apoiam. E isso está relacionado com a relevância dos seus assuntos e opiniões, até mesmo dos seus gostos e costumes.

 

4º Uma boa marca pessoal exige foco

Não só concentração, mas de fato um objetivo, uma causa pela qual pretende ser lembrado. E mais do que isso, é preciso que isso se reflita em suas atitudes e experiências para, de fato, se tornar uma marca.

 

5º Te enganei com o título

Não fui 100% sincera com você, essa postagem não traz TUDO o que você precisa… Para dominar o assunto e ter resultados é preciso por em prática. Bora para execução?!

E por fim, a única diferença que existe entre você e a Apple é forte departamento de marketing. Por isso, o FaçaAgora! quer saber: O que você tem feito para consolidar a sua marca?