Como me preparar para um processo seletivo?

Muitas empresas utilizam o Processo Seletivo como porta de entrada para novos colaboradores. Atualmente, é muito difícil encontrar etapas padrões utilizadas por todos os recrutadores. No entanto, não se desespere!

Por mais que as etapas sejam diferentes, elas normalmente buscam avaliações sobre aspectos em comum. Nesse momento, a organização quer entender o candidato desde a ótica da formação técnica, analisada por currículos ou desafios; até o seu comportamento, como em dinâmicas e testes de perfil.

E por isso, temos 6 dicas de como se preparar para qualquer processo seletivo!

1- Trabalhe o autoconhecimento

Antes mesmo de saber mais sobre a organização que você quer se candidatar, é importante se conhecer. Nesse momento, alguns exercícios podem te ajudar:

– Pergunte para as cinco pessoas mais próximas a você como elas te descreveriam, pegue tanto os lados positivos quanto os negativos.

– Elenque quais foram os maiores desafios que você já passou, podendo ser pessoais ou profissionais. Com isso, saiba os passos que utilizou para supera-los.

– Prepare uma apresentação sobre você com os principais pontos da sua história e que te descreva para qualquer pessoa em poucos minutos.

2- Conheça a empresa que você quer trabalhar

Depois de se conhecer melhor, analisar a empresa é o principal passo. É aqui que você conseguirá entender se ela realmente pode te ajudar a chegar aos seus objetivos e se para você faz sentido ser parte daquela organização. Entenda minimamente o que a empresa faz, o mercado em que ela está situada e também suas diferenças para os principais concorrentes.

Depois disso, busque sobre a missão, a visão e os valores da organização, como no próprio site e mídias sociais, ou até mesmo no LinkedIn.

3- Analise o Dress Code da empresa

O Dress Code é um código de vestimenta em que as pessoas seguem no ambiente de trabalho. Exemplo clássicos e extremos são os bancos e empresas de tecnologia (como a Google). No primeiro deles, os colaboradores vão ao trabalho com roupas formais, ternos femininos e masculinos, saias mais longas, gravatas, sapatos elegantes. Já no segundo, as pessoas têm a liberdade de usarem tênis, sandálias, roupas mais confortáveis.

Por isso, é fundamental entender como é o Dress Code da empresa a qual você está se candidatando. Ao chegar no ambiente da empresa com a roupa certa, o recrutador tem a primeira impressão de alguém já alinhado com a cultura da empresa.

Por exemplo: candidatos para a Ambev ou para o FaçaAgora! podem usar tons azul e de roxo, respectivamente, em uma blusa de forma discreta.

4- Se atente para a linguagem corporal

Em etapas presenciais, esse é um dos pilares para ser visto com bons olhos pelos recrutadores. A linguagem corporal por muitas vezes traz à tona aquilo que tentamos não demonstrar nos processos seletivos: como nervosismo e timidez. Exemplos comuns são: a alta frequência de toques no rosto, mãos tremulas e até mesmo falhas na voz.

Para evitar que isso aconteça, tente manter a postura mais relaxada, com as costas retas, ombros para trás e mantenha o contato visual. Não mexa os pés ou a cadeira. Dessa forma, você consegue passar mais segurança e credibilidade, ajudando no seu desempenho.

5- Cuidado com a linguagem verbal

A comunicação assertiva é uma a soma de uma boa oratória com um bom posicionamento corporal. A linguagem falada é de extrema importância nas fases como entrevistas e dinâmicas. Sempre evite gírias e expressões muito informais, pois elas podem ser entendidas como falta de profissionalismo.

Quando você estiver treinando para as etapas, uma boa dica é sempre escrever o que for falar em um rascunho. Mas treinar em frente ao espelho ou com outras pessoas sem utiliza-lo. Isso reduz as chances de você ficar tentando lembrar o que está escrito e aumenta a sua linha de raciocínio sobre o que te foi perguntado. Ou seja, esse processo soa muito mais natural.

6- Se venda como a solução

Quando uma organização abre processos seletivos significa que ela está em busca de solucionar problemas ou empasses internos. Isso pode ser desde aumentar a sua capacidade produtiva, até desenvolver novas frentes e áreas. Por isso, ao analisar a vaga a qual você está se candidatando entenda suas funções e faça perguntas sobre ela sempre que sentir necessidade.

É preciso que você entenda como pode contribuir naquele cargo, para que o recrutador, além das suas competências técnicas e comportamentais, veja como elas podem ser aplicadas no dia a dia da empresa.

Observação: não tenha medo de fazer perguntas! Elas demonstram seu interesse sobre a empresa e a vaga.

Mas por fim, uma dica bônus: não crie uma personagem para participar de qualquer processo seletivo. Além de não ser efetivo, pode atrapalhar um bom match entre você e a empresa! Seja você!

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *