Feedback: a eficaz maneira de desenvolver pessoas e organizações

Enquanto os advogados possuem as leis, os médicos os estetoscópios e os engenheiros suas calculadoras, quem trabalha em negócios tem a mais preciosa ferramenta: o Feedback.

Nesse momento você deve estar se perguntando, mas como essas ferramentas se comparam ao feedback?

É nesse ponto que vamos chegar!

Nessa área, nada mais importante do que a evolução pessoal e profissional para que uma organização alcance seus objetivos e os colaboradores estejam satisfeitos. É por isso que o feedback se torna tão essencial. Por meio dele é possível avaliar pontos fortes e fracos, além de notar gaps onde é necessário se desenvolver.

Uma pesquisa recente da Gallup Poll, uma empresa de pesquisa de opinião dos Estados Unidos, detectou que apenas 26% dos colaboradores concordam realmente com os feedbacks que recebem e os usam como insumos de melhora para o seu trabalho.

Você imagina a causa disso?

A falta de efetividade na transmissão dos feedbacks é a principal delas.

Como as pessoas dão Feedbacks?

Usualmente, existem dois grupos de características do modo como as pessoas dão feedbacks.

O primeiro deles é uma forma tão indireta e suave que quem escuta nem mesmo reconhece que está ouvindo um feedback naquele momento.

Por outro lado, existem pessoas muito diretas que ao falarem quem as escuta se sente na defensiva. O estado de defesa faz com que os indivíduos passem a não mais se preocupar com o conteúdo da fala, mas sim se há algo por trás daquela colocação. Esse grupo de pessoas pode causar reações adversas em quem está recebendo o feedback, sendo a mais comum delas a replica com feedbacks inconsistentes por exemplo.

Então, vamos agora aprender 3 atitudes que façam com que qualquer mensagem difícil de se transmitir seja passada de forma clara e sem nenhuma barreira!

1) Comece por um sim!

Outra atividade de autoconhecimento, é saber definir onde você quer chegar. Para isso, conheça o que te faz feliz e quais atividades te dão prazer e motivação em executar. Assim, você começará a traçar a resposta para famosa pergunta: onde você quer estar daqui alguns anos?

Definindo seus objetivos, você terá mais clareza de quais ações devem ser feitas no presente para que eles sejam alcançados. Nos levando para o próximo passo: traçar metas.

2) Exemplifique!

Ao invés de tratar os assuntos de forma separada, junte-os com atitudes da própria pessoa. Um exemplo bem claro de como fazer isso é ao invés de falar “você não cumpre os prazos”, diga “nós combinamos que você me entregaria o projeto até ontem, mas ele ainda não chegou às minhas mãos.“

Com a exemplificação clara, quem está recebendo o feedback passa a notar em suas atitudes o que deve melhorar, sendo isso fundamental para que ela repense suas ações antes de faze-las de novo.

3) Pergunte!

Os melhores Feedbacks são acompanhados de uma pergunta ao final. Isso significa que ao terminar de apresentar seus pontos e exemplifica-los, pergunte o que a pessoa com quem você está conversando entendeu. “Isso foi o que pensei que devemos fazer, mas o que você pensa sobre o que conversamos?”ou “Como você vê essa situação? Tem alguma outra ideia?” são boas questões para se terminar o processo de dar um feedback.

Essa é uma forma de desenvolver soluções conjuntas, as quais contam tanto com a opinião de quem dá o feedback quanto de quem o recebe.

Agora é com você! Comece hoje a dar os feedbacks que já foram dados aplicando essas práticas e você verá o resultado.

Eae, bora executar?

Recommended Posts