Como desenvolver pessoas e equipes?

O que o cubo das competências pode te ensinar no gerenciamento de equipes e pessoas

Quando falamos de pessoas, a única certeza que temos é que pessoas são incertas, certo?
Na prática, responder “sim” a esta pergunta é um tanto quanto razoável.

Imagine um famoso diálogo de uma segunda-feira no início do expediente no trabalho às 8:00hrs da manhã: Uma pessoa chega extremamente alegre desejando “Bom dia!” aos quatro ventos, enquanto uma outra recebe a empolgação pela pergunta com a seguinte pergunta: “Bom dia pra quem?”.

Inevitavelmente, estas duas pessoas representam nosso humor em determinados dias. Algumas pessoas possuem mais da primeira, outras da segunda, mas a realidade é que todos temos dias bons e ruins na semana e saber lidar com esta realidade é um desafio para líderes e gestores.

Por isso, se você quer entender como trazer maior estabilidade e aumentar seu conhecimento em gerenciamento de pessoas, este texto é pra você!


O Cubo das Competências

O cubo das competências é uma ferramenta utilizada no âmbito profissional em que divide as competências de uma pessoa em 3 partes: Conhecimento, habilidade e comportamento.

  • Conhecimento: Está relacionado a parte cognitiva. Aqui, estamos falando do saber em si. Qual a quantidade de conhecimento daquele colaborador?
  • Habilidade: Está relacionado a habilidade. O quanto de prática uma pessoa possui. Qual a habilidade que aquele colaborador possui ao exercer uma atividade?
  • Comportamento: Está relacionado às atitudes. Como a pessoa se comporta. Qual o principal comportamento deste colaborador no dia a dia?

Na prática, ao reunirmos estes 3 fatores temos, por completo, como gerenciar, orientar e preparar cada profissional. Sua utilização não está limitada a nenhum nível organizacional ou a unidades de comando. A versatilidade deste conceito está em trabalhar com qualquer colaborador organizacional de forma objetiva.

Agora que você entende como funciona o cubo das competências, vamos lhe mostrar como você pode trabalhar estes 3 fatores na prática em sua organização no gerenciamento de equipes e pessoas.

Mas atenção: Esta é uma metodologia FaçaAgora!, por isso, fique a vontade para entrar em contato conosco em qualquer dificuldade ou dúvida por ai!


Como utilizar o Cubo das Competências para gerar resultado

As 3 camadas presentes no cubo das competências refletem grandes aspectos da organização que devem ser levados em consideração de forma macro. Veja:

Conhecimento – Determina a gestão de conhecimento e gerenciamento de treinamentos

Habilidade – Monitora o desempenho das funções e geração de resultados

Comportamento – Alinhamento cultural

Como você pode perceber, ao relacionar o cubo das competências com grandes dores empresariais, temos uma metodologia completa para o desenvolvimento organizacional. Para isso, aprofundei em cada um dos três temas logo abaixo de forma mais detalhada.


Como aplicar o conhecimento?

De forma direta, o conhecimento está associado a capacidade de entendimento e carga teórica que um colaborador possui. Antes de propor diversos treinamentos para a empresa, é preciso trabalhar a consolidação da informação. Não adianta trazer novos conhecimentos e maiores capacitações se não há uma boa gestão do conhecimento atual que existe na empresa.

Desta forma, para trabalhar o conhecimento, foque em uma boa plataforma de gestão e centralização de tarefas. Mas atenção, por aqui é importante focar em 3 dicas:

  1. Tenha uma única plataforma de gestão. Não traga duas ferramentas para fazer a mesma tarefa. Enxugue o máximo possível para facilitar a aceitação dos membros da empresa.
  2. Foque na facilidade e não na burocracia. Nada daqueles processos complexos e demorados. Uma boa gestão de conhecimento acontece de forma intuitiva e natural pelas pessoas. Não deve ser um limitador, mas um facilitador.
  3. Estimule diariamente a utilização. Somos programados para fazer o mais fácil, desta forma, definir a plataforma e como será a sua utilização não basta. Você deverá trabalhar diariamente para que as pessoas desenvolvam o hábito de trabalhar na nova ferramenta.

EXEMPLO: Você pode desenvolver uma plataforma central como o Trello para gerenciar etapas de um processo através de um checklist em que cada card há um link para o drive com vídeos tutoriais e arquivos padrões da empresa, bem como exemplos da noção de sucesso com a atividade.


Como aplicar a habilidade?

Quando falamos em habilidade, estamos falando em desempenho por estar associado intimamente com a execução prática de uma atividade. Para isso, a habilidade deve ser trabalhada como um indicador para geração de resultados dentro da organização.

Para a aplicação deste segmento do cubo das competências, cada cargo ou setor deve trazer as habilidades necessárias para a sua execução. Desta forma, conseguimos preparar as futuras pessoas que irão ocupar este cargo de forma mais rápida e prática, além de conseguir desenvolver de forma mais precisa quem está ocupando o cargo atualmente.

Por aqui, mais algumas dicas:

  1. As habilidades podem ser desenvolvidas em hardskills e softskills para um setor ou, de forma mais específica, para cada cargo da organização.
  2. Naturalmente, mais do que indicar as habilidades necessárias, é importante guiar o colaborador em como ele pode desenvolvê-las. Seja por uma biblioteca interna de livros e treinamento ou até mesmo indicações de materiais online.
  3. Para monitorar o andamento destas habilidades, uma avaliação de desempenho é uma boa opção.

EXEMPLO: Avaliação de desempenho com 4 habilidades (2 softskills e 2 hardskills) acontecendo mensalmente para traçar planos de ação de desenvolvimento constante.


Como aplicar o comportamento?

Quando falamos em comportamento também estamos falando de uma das partes mais complexas da organização. A cultura.

A cultura de uma organização deve ser materializada e refletir os comportamentos cotidianos. Nada de valores de paredes ou frases bonitas simplesmente para dizer que se tem. A cultura deve ser encarada como uma ferramenta potencializadora de resultados e entendimento do que a organização valoriza.

Para adotar esta postura, como sempre, algumas dicas muito importantes:

  1. Toda cultura deve ser dividida em, ao menos, valores, descrição dos valores, atitudes e rituais relacionados por cada valor e um sonho.
  2. É interessante que a cultura reflita o perfil dos colaboradores. Por exemplo, se é uma empresa com predominância de jovens, os termos trabalhados devem trazer irreverência e um tom brincalhão para, de fato, trazer identificação das pessoas.
  3. A cultura deve focar no bem estar e performance das pessoas. Ou seja, além de trazer identificação e as pessoas se sentirem a vontade para serem quem são, também deve estar associada com os comportamentos necessários para o atingimento do plano estratégico.

EXEMPLO: Este é um dos maiores e complexos exemplos a serem dados. Caso esteja buscando uma melhor materialização e entendimento estratégico da cultura, entre em contato conosco que iremos poder te auxiliar melhor.


Finalizando…

O cubo das competências é uma excelente ferramenta para trabalhar em organizações. Os ganhos estão relacionados a maior efetividade do planejamento estratégico, melhor gerenciamento de pessoas e identificação da cultura pelos colaboradores.

Todas as ferramentas indicadas são trabalhadas pelo FaçaAgora! internamente e também com nossos clientes e parceiros. Afinal, devemos cuidar das pessoas para que elas cuidem do resultado esperado.

Conte com a gente para o que for preciso e, claro, #BoraExecutar.

Recommended Posts