Como trabalhar a inovação para aumentar resultados

O que é, como implementar e direcionamentos importantes

Antes de tudo, preciso fazer um alinhamento com você. Se você está em busca apenas de conceitos e definições, você não vai encontrar aqui. O foco deste texto está totalmente na execução e em como você pode aplicar para gerar resultados efetivos no seu dia a dia e em sua organização.

Antes de continuar este texto, você precisa saber que inovação não envolve apenas trazer soluções radicais criando um novo mercado, incrementos para produtos ou até mesmo ideias disruptivas para um mercado já existente.

Quando falamos em inovação, devemos lembrar de dois motores que impulsionam qualquer organização: Consolidação e Inovação. Coloco as palavras nesta ordem de propósito. Não adianta você querer pensar em Inovação para a sua organização se não focar no mínimo de Consolidação (apenas em alguns momentos específicos esta ordem se altera).

Vamos a um exemplo: Suponha que você quer melhorar a experiência da sua audiência em algum canal de comunicação online que você possui. Comumente, você utiliza de imagens para se comunicar e passar sua mensagem ao público. Porém, você percebeu que precisa melhorar a interação com o público por conta da queda no engajamento da plataforma. Neste momento, você decide mudar sua comunicação (que antes era feita através de imagens) para vídeos.

Você poderá ter um retorno significativo ou não. Isto depende do motivo da queda de engajamento da sua audiência com o seu canal de comunicação. Em uma primeira situação, vamos imaginar que sua audiência aceitou muito bem o novo estilo e seu engajamento aumenta. Porém, em uma segunda situação, vamos imaginar que a queda do engajamento possa ser por falta de tempo da audiência que demanda por postagens mais curtas e com o conteúdo mais direto. Neste caso, o vídeo apenas piora seus resultados. O que realmente faria sentido é postagens com textos curtos e diretos em imagens.

O que quero dizer por aqui é que a Inovação por si só não garante a sobrevivência do seu negócio. Entenda: Inovação é permanência no longo prazo, Consolidação é permanência no curto prazo e para você aplicar estes conceitos de fato, vamos focar separadamente:

Consolidação como permanência de um negócio no curto prazo

Este deve ser o primeiro motor de um negócio. Você deve focar no mínimo 70% de todos os seus recursos neste motor. Entenda por recursos: Tempo investido, pessoas direcionadas, capital financeiro e assim por diante).

Para desenvolver a Consolidação, você deve buscar o mínimo do seu negócio que consegue gerar o máximo de valor. Neste caso, estamos falando de nível de entrega em projetos, um estilo de publicação curinga em suas redes, uma ferramenta para gestão interna, enfim. A Consolidação é o que mantém seu negócio performando dia após dia.

Um exemplo: Suponha que você tem 5 produtos em seu portifólio para os clientes. Para trabalhar a Consolidação, qual destes produtos você tem o maior domínio e que, por consequência, acaba sendo o mais vendido? Esta é a consolidação do seu negócio. O que te traz renda. O nível de inovação neste caso deve ser muito bem dosado.

Inovação como permanência de um negócio no longo prazo

A pergunta mais importante por aqui não é como inovar, mas quando inovar.

Caso você queria aprofundar em como inovar, confira este nosso texto: Como fortalecer e desenvolver uma organização

Então, quando inovar, afinal?
Sempre! A inovação é o que garante o desenvolvimento da organização e diferenciação em relação ao mercado. Neste motor, você deve focar até 30% dos seus recursos.

Um exemplo: Um dos grandes gatilhos para manter um público engajado é o da curiosidade. Ao receber um mesmo estímulo e estilo de conteúdo, uma audiência entende que aquilo é um padrão e acaba reconhecendo como algo trivial e com mesma importância das demais. Logo, sem diferencial competitivo. Este é um dos grandes motivos de aplicativos para smartphones, sendo, inclusive, uma estratégia já utilizada pela grande Facebook em que deveria liberar novas atualizações quinzenalmente.

Mas como trabalhar o equilíbrio entre consolidação e inovação, afinal ?!

1.Quanto maior a consolidação, menor a escala de inovação

Não estou dizendo que você não deve mexer em “time que está ganhando. ” Pegando este mesmo exemplo, você tem um time excelente em campo, você vai retirar todos do campo para implementar um formato novo com os reservas? Imagino que não. Neste caso, o mais prudente a se fazer é alterar somente um jogador ou uma estratégia em si.

Ao começarmos o processo de inovação, a única coisa que temos são hipóteses e estas hipóteses precisam ser validadas na prática para medir o resultado.

Vamos a um exemplo: Se você quer melhorar a experiência do seu cliente na empresa e entende que pra isso vai precisar oferecer uma cesta de chocolates para cada um para isso, você não deve implementar mutuamente para todos os clientes. Na verdade, o que você deve fazer é enviar esta cesta para alguns poucos clientes e coletar os retornos com esta atitude. Só após este primeiro feedback você terá os insumos para validar esta ideia e identificar se realmente faz sentido ser para todos os clientes dado o investimento que a organização precisa fazer.

O que quero dizer é que recursos são limitados a todo momento e o uso destes deve ser o mais estratégico possível. Se você quer melhorar a comunicação em uma empresa de 50 funcionários, por exemplo, você não pode implementar uma nova plataforma para todos utilizarem sem saber do retorno que trará, antes disso, você deve testar em um grupo específico, ver quais as dificuldades e facilidades, adaptar e só assim levar pro restante da empresa já com as melhorias adotadas.

2. Escala e impacto para implementar a inovação

A Inovação deve estar acontecendo a todo momento na empresa. Testes de hipóteses é o que vai te deixar atualizado e bem posicionado no mercado. Você precisa entender seu público e você só conseguirá fazer isso se estiver coletando feedbacks a todo momento. Para entender esta dinâmica, pegarei um exemplo análogo para ilustrar a situação.

Vamos a um exemplo: Sabe aquele ou aquela comediante que você gosta? Já se perguntou como pode ser tão engraçadas as piadas contadas? No próprio processo de criação é utilizado a metodologia Setup + Punch que é, basicamente, ao contar uma piada, quem a contou entende qual foi a reação do público para validar se vale ou não ser incorporada definitivamente no repertório. Para isso, cada comediante tem seus telespectadores para testar. Primeiramente, testa com um amigo ou parceiro, depois com a família, posteriormente em eventos menores de standups e depois incorpora ao grande roteiro.

O que quero frisar por aqui é que você precisa validar suas ideias o tempo inteiro com o seu público, mas de forma controlada. Qual o maior impacto da sua ideia você pode validar com a menor escala possível antes de implementar efetivamente?

3. Dicas e orientações para começar hoje

  1. De nada vale uma ideia se ela não for testada. Por isso, ao ter uma novidade de implementação, imagine como você pode aplicar em uma escala menor, buscando o maior impacto possível hoje mesmo para validar sua ideia
  2. Consolide aquilo que você manda bem hoje. O que sua empresa faz bem está consolidado? Ou seja, você consegue ter o domínio de todo o processo? (Aqui entram aspectos de gestão de conhecimento, treinamento de equipes e afins).
  3. Trabalhe de forma consciente e constante. Tenha domínio de todas as etapas e gestão de inovação periodicamente. Como podemos te ajudar hoje? Entre em contato!

#BORAEXECUTAR

Recommended Posts