A chave para o verdadeiro alto desempenho

A equipe que você sempre sonhou

Não é fórmula secreta, é o trabalho bem intencionado com decisões tomadas a partir de informações e não apenas de intuição. 

Você já se deparou lendo artigos, publicações que prometiam te mostrar como ser mais produtivo(a)?

Muito se fala hoje sobre a importância da produtividade, sendo quase que um objetivo a ser alcançado para se obter mais resultados e consequente sucesso na carreira.

Mas já parou para pensar que é difícil estabelecer uma noção de excelência quando falamos de produtividade? Isso porque não existem níveis gradativos, ou você consegue ser mais produtivo ou não consegue.

O ponto que quero chegar é que devemos enxergar a produtividade como uma ferramenta, um mecanismo para ser utilizado visando obter maior qualidade na execução das atividades diárias. Portanto, o grande desafio é saber como desenvolver uma mente voltada ao alto desempenho a ponto de conseguir usar ferramentas como aliadas para garantir melhores resultados.

Pensando nisso, trouxe aqui para você alguns fatores essenciais para conseguir atingir seu potencial ao máximo, podendo desfrutar dos benefícios que suas habilidades proporcionam e ainda utilizar de práticas de eficiência para ter uma boa performance.

Vamos lá?

O poder da presença

Quantas vezes você, em uma roda de amigos, estava pensando nas tarefas pendentes do trabalho e assim não conseguiu aproveitar o momento tão bem quanto esperava?

Ou quantas vezes acabou não tendo o rendimento esperado no trabalho por estar pensando em alguma situação pessoal em seus relacionamentos?

Ter consciência sobre sua presença e entrega é essencial para se envolver no processo da atividade e desempenhar bem uma função, e assim alcançar o que chamamos de Estado de Flow, estado máximo de concentração e foco que te garante realizar suas atividades de maneira diferente do padrão e potencializar seus resultados de forma extraordinária.

É o que acontece no mundo dos esportes, por exemplo. Ayrton Senna alcançava constantemente estágios de Flow, o que o permitia ser o piloto mais veloz e eficiente de todos os tempos. Segundo ele, é como se estivesse pilotando por instinto, entregando seu potencial máximo e ainda conseguindo ir muito além.

Para isso, a sugestão é que seus desafios sejam sempre 4% maiores que o nível de suas habilidades. Ou seja, a ideia é buscar elevar a dificuldade das funções que você executa da forma como fizer mais sentido para sua realidade. Seja reduzindo tempo disponível para a execução ou até mesmo aumentando o nível de entrega.

Portanto, a regra aqui é:

Foco no desafio: busque se desafiar em entregar mais rápido ou melhor;

Sintonia entre corpo e mente: reduza distrações e esteja 100% presente na execução de uma atividade;

Tenha clareza sobre o que precisa ser feito: direcione suas atitudes para o que deve e o que não deve ser feito;

Agregue disciplina à motivação

Motivação nada mais é do que uma força interior que se apresenta em momentos de acordo com estímulos que despertam interesse em executar uma tarefa, direcionando atitudes para alcance de objetivos.

Portanto, a motivação se faz presente quando a mente experimenta a sensação de recompensa vinda por um resultado alcançado.

O grande erro da maior parte das pessoas é acreditar que a motivação vem naturalmente, apenas esperando que ela chegue para posteriormente executar a tarefa necessária.

Quando, na verdade, o segredo é planejar a execução de suas atividades de forma a identificar benefícios constantemente, assim, você hackea seu cérebro para vivenciar um ciclo de motivação interna a partir dos resultados alcançados.

Portanto, a ideia é ter constância na execução de suas tarefas para potencializar a disciplina e assim, tornar o ciclo de motivação como um processo natural em sua rotina diária.

Saiba o que você precisa fazer: A dica é simples. Limite tempo para planejar o que precisa fazer. Utilize os 15 primeiros minutos do seu dia, ou os últimos, para planejar o dia seguinte. Executar atividades como verificar caixa de e-mail, mensagens e organizar a ordem das tarefas é essencial para ter clareza sobre seus dias e não postergar a execução.

Planeje sua rotina estrategicamente: Outra dica simples e valiosa é separar as tarefas por categorias. Divida suas atividades por critérios: aquelas relacionadas ao trabalho, as pessoais, as que são dependentes de outros fatores. Assim, é possível separar por blocos, reduzindo seu gasto energético e seguindo uma linha consistente durante o desenvolvimento das atividades.

Drible a procrastinação: É normal existir momentos de maior e menor eficiência, afinal, existem turnos do dia em que a energia cai e isso varia de acordo com a realidade de cada um. A dica aqui é procurar tensionar o cérebro para passar por cima da procrastinação. Portanto, busque agendar seus compromissos obrigatórios em momentos de baixo desempenho.        

Atribua significado à sua rotina

Sem dúvidas, um dos grandes fatores responsáveis pelo baixo desempenho pessoal é a falta de clareza acerca dos benefícios que seu esforço diário te retorna.

A sensação de cumprir suas tarefas de forma a identificar recompensas gera motivação constante, exercitando a famosa “força de vontade” para continuar no processo.

Por isso, atribua significado claro às suas funções, relacionando suas atividades diárias a seus objetivos pessoas e profissionais, afinal, tudo aquilo que você faz deve te manter mais perto do que deseja alcançar.

A dica aqui é:

– Identifique quais são os gatilhos de satisfação que te despertam na execução de suas atividades;

– Determine quais sãos seus objetivos pessoais e profissionais a curto e médio prazo;

– Faça uma associação entre sua rotina e seus objetivos, atribuindo significados claros para as atividades que possui;

– Determine recompensas em tarefas que forem ainda mais significativas de acordo com o que deseja alcançar. Estipule metas e ao cumpri-las, se permita presentear com algo que você gostaria muito de ter no momento ou até mesmo com pequenas coisas que te alegram;

Conte para o meio externo sobre suas entregas. Compartilhe o processo e conquistas nas redes sociais ou de forma mais restrita, com um grupo de amigos. Assim, você estimula sua autodisciplina e ainda cria compromisso social.

O que achou das dicas? Lembre-se que ideia sem execução não gera resultado. Portanto, leve as dicas para execução e então comece a desenvolver sua mentalidade de alto desempenho.

Ah, e pra te ajudar ainda mais a potencializar sua performance, trouxe aqui um episódio do Do!Cast bem interessante sobre o segredo de se obter maiores resultados.

Você tem o que é preciso para liderar equipes?

6 perguntas que toda liderança deve responder

Atenção! Este não é um texto que vai te mostrar tudo o que você precisa saber sobre liderança. Mas com certeza, será um passo muito importante em toda sua trajetória profissional.

Será um texto breve e cirúrgico que te auxiliará a questionar tudo aquilo que é preciso como um passo importante para sua trajetória dentro de uma empresa. Mas atenção, não existe uma receita de bolo. Estas perguntas são padrões que observamos ao longo destes anos de trabalho e são direcionadores que toda liderança deve ter. #BoraExecutar?

PERGUNTA 01: O que é inegociável na empresa?

Existem coisas dentro da empresa que são possivelmente negociáveis como: Um adiantamento do pagamento, alteração de alguns prazos e forma de se comunicar. Mas existem coisas que não podem nunca serem quebradas. Para estas coisas, damos o nome de Valores e estão presentes na cultura organizacional.

Para deixar ainda mais claro, os Valores não devem ser apenas um papel de parede bonito na empresa ou um acessório para o site. Eles devem refletir na prática o comportamento que todas as pessoas da empresa devem ter, sendo inegociável a quebra de qualquer um deles. Se você quer ser uma boa liderança, deixe isso claro para a equipe dia após dia e nunca (nunca mesmo!) negocie um Valor.

PERGUNTA 02: Você e sua equipe sabem o que estão querendo alcançar?

Assim como a Cultura da empresa representada pelos Valores da pergunta acima, toda liderança deve focar igualmente na estratégia a ser seguida. Para isso, não basta apenas você saber o que deve ser alcançado e como deve ser feito. A equipe precisa saber a cada dia se está mais próxima ou mais distante de alcançar o objetivo comum.

Não basta apenas ter uma gestão a vista. É preciso que você desenvolva nas pessoas com quem trabalha o hábito de colocar na sua rotina apenas aquelas funções que contribuem para os objetivos que precisam ser alcançados. Para isso, a utilização de indicadores, lembretes e estímulos devem ser presentes diariamente.

PERGUNTA 03:  Qual a autonomia que uma pessoa tem na empresa?

Esta pergunta divide dois grupos de lideranças clássicas. O primeiro grupo é aquele que concentra todas as atividades pra si, pois acredita que fará com mais agilidade ou até mesmo maior qualidade. O segundo grupo é aquele que “Delarga” ao invés de delegar (ou seja, só joga no seu colo, ao invés de acompanhar).

Veja bem, estes são dois extremos e exemplos que não devem ser seguidos. Você precisa estar em contato pelo menos três vezes na semana com a pessoa que lidera para direcionar tarefas, dar suporte e acompanhar o desenvolvimento. Não espere uma pessoa entrar em contato com você para dar suporte. É papel da liderança trabalhar com atenção no desempenho e engajamento de cada pessoa dentro da empresa.

PERGUNTA 04: O que você faz para contribuir no futuro de quem você lidera?

Lideranças tem uma responsabilidade muito grande com seus liderados e lideradas. Uma simples ação, uma palavra de motivação ou tarefa delegada pode definir todo o futuro da carreira profissional daquela pessoa. Se você não busca o desenvolvimento das pessoas que estão junto de você, provavelmente outro local o fará e o seu turn over irá aumentar.

Para trabalhar neste ponto, você deve conciliar desafios com motivação. Se pergunte como você pode fazer para que aquela pessoa saia da zona de conforto dela e esteja sempre aprendendo e se desenvolvendo através de tarefas no dia a dia. E, para fechar, desenvolva sua escuta ativa para perceber o que você pode ofertar para aquela pessoa se desenvolver ainda mais rápido.

PERGUNTA 05: Quais são os momentos que você está verdadeiramente junto com sua equipe?

Você seria fiel a uma liderança que te pede para fazer algo muito chato e trabalhoso enquanto ela está fazendo atividades simples e rápidas? Provavelmente não, certo?! A liderança é aquela pessoa que chega primeiro e é a última a sair. Mas atenção, não estou falando de radicalismos, até porque podem haver escopos de trabalho bastante diferentes entre liderança e liderados. O ponto que quero trazer é: Além de exigir qualidade, excelência, velocidade e resultado, você também coloca a mão na massa junto com sua equipe para conquistar estes objetivos?

Busque ter coerência entre aquilo que você busca, exige e realiza na prática! E esteja junto com a sua equipe para executar sempre que possível.

PERGUNTA 06: O que você aprendeu hoje? (Learning mode on)

Esta é a pergunta mais simples e uma das mais poderosas deste texto. Não adianta você querer pilhas de livros sobre liderança, assistir a coletâneas de cursos e inúmeras playlists de podcasts se você não colocar em prática o quanto antes. Perceba que a pergunta não é o que você conheceu hoje, mas sim o que aprendeu.

Aprender é a capacidade de conhecer algo e converter em ação prática, trazer algo para sua vida que foi validado em ação. Seus liderados não querem saber o quão bom foram os livros que você leu ou que podcast incrível que você escutou outro dia. Nada disso será útil se você não começar a colocar em prática tudo que conhece!

Não espere a segunda-feira para colocar tudo o que leu neste texto em prática!

Para facilitar, estou deixando três sugestões do que você pode fazer hoje:

  1. Marque uma reunião de equipe e deixe claro quais são as regras inegociáveis e os objetivos a serem buscados.
  2. Execute alguma tarefa junto com alguma pessoa que você lidera e se atente em como você pode contribuir positivamente para o futuro dela.
  3. Expanda esta lista com mais 2 coisas que você irá aprender ao invés de apenas conhecer.